Prédio da escola Sud Mennucci vai se transformar no Palácio da Educação

O Conselho Municipal de Educação aprovou em reunião extraordinária ocorrida na tarde de quarta-feira (27/09) a transformação da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Sud Mennucci no futuro Palácio da Educação Professor Sud Mennucci. Esta mudança será feita de forma gradativa nos próximos anos, sendo que a primeira providência aprovada é o encerramento dos 1º e 2º anos letivos já em 2018. A unidade ficaria, portanto, apenas com salas de 3º ao 5º anos.

A proposta aprovada foi apresentada pela secretária de Educação, Cláudia Regina Lopes Aguiar, após análises e estudos relativos à demanda educacional e efetivação de normativas constantes na Lei de Diretrizes e Bases (LDB) da Educação. Os principais fundamentos foram: segurança dos alunos, melhoria da qualidade do ensino e efetividade de normativas educacionais.

Atualmente, a Emef Sud Mennucci tem alunos oriundos de bairros, em sua maioria das regiões Norte e Leste do município, e não mais da região central, onde se localiza. O afastamento da criança de sua comunidade implica na necessidade de se valer de transporte educacional de longa distância, colocando em risco sua segurança.

Levar o aluno para estudar próximo de sua residência, além de efetivar normativa educacional (LDB), proporciona justamente a integração entre a comunidade e a escola, ampliando as condições para a melhoria do rendimento escolar. “A proximidade da escola proporcionará aos pais melhores condições no acompanhamento da vida acadêmica de seus filhos, aumentando a possibilidade de participação em reuniões e na Associação de Pais e Mestres”, escreveu a secretária na proposta.

A diminuição da distância foi o principal ponto levantado na proposta, pois reduz também os riscos com a segurança e a integridade física do menor no transporte. Mas outros pontos também foram levados em conta, como a economia gerada aos cofres municipais com o transporte e até a melhoria no trânsito na região da escola nos horários de entrada e saída dos alunos.

O prédio que abriga a Emef Sud Mennucci foi inaugurado há 103 anos e é tombado pelo patrimônio histórico, o que impede qualquer alteração estrutural, inclusive a sua adequação às normas de acessibilidade aos alunos. Este foi outro argumento levantado na proposta.

“É importante e fundamental ressaltar que não haverá qualquer prejuízo aos alunos. Os estudos demonstram e comprovam que a demanda educacional será suportada pelas unidades educacionais municipais. De igual forma, não há que se falar em prejuízo pedagógico, afinal todas as unidades apresentam os mesmos parâmetros, diretrizes e propostas educacionais”, explicou a secretária.

Os educadores também não terão prejuízo, pois serão aproveitados pela rede municipal de ensino em outras unidades educacionais.

Sobre a criação do futuro Palácio da Educação, ou seja, de um local para abrigar a Secretaria de Educação – atualmente em prédio alugado na avenida Engenheiro Nicolau de Vergueiro Forjaz, no Centro –, Cláudia Aguiar afirma que isto vai permitir cuidar ainda mais da preservação do patrimônio físico e histórico do prédio, até mesmo como reconhecimento expresso da importância fundamental à tradição ferreirense.

A secretária citou precedentes análogos já verificados no Estado de São Paulo, por exemplo, quando da transferência da centenária escola Caetano de Campos, primeira escola de São Paulo, para que o prédio, também histórico e tombado, passasse a sediar a Secretaria Estadual de Educação.