Prefeito recebe deputado e autoriza abertura da licitação para obras do Parque Linear da Fepasa

No final da tarde de sexta-feira (01/10) o prefeito Rômulo Rippa autorizou a abertura do certame licitatório para as obras do Parque Linear da Fepasa. A assinatura se deu nas dependências do Museu Histórico Professor Flávio da Silva Oliveira (antiga Estação Ferroviária), recentemente revitalizado e que faz parte da região que será totalmente remodelada com as obras do parque.

Além do prefeito, o ato simbólico também contou com a presença do deputado federal Alex Manente (Cidadania), autor de emenda que permitiu a viabilização do projeto; dos secretários Rodrigo Louzada (Obras e Desenvolvimento Urbano), Miguel Bragioni (Meio Ambiente e Zeladoria), Régis Beretta (Cultura), coronel Valdemir Guimarães Dias (Segurança e Mobilidade Urbana) e Dr. Luís Guilherme Panone (chefe de Gabinete); do presidente da Câmara Municipal, vereador Alan João Orlando (PSD), e dos vereadores Élcio Arruda (MDB), Priscila Franco de Oliveira (PSDB) e Sérgio Rodrigo de Oliveira (DEM).

“Um investimento de mais de R$ 5 milhões em uma área de mais de 100 mil metros quadrados de Cultura, Esporte, Meio Ambiente e Lazer. Mais uma vez meu agradecimento ao deputado federal Alex Manente, grande responsável pela viabilização dos recursos para realização desta magnífica obra”, comentou o prefeito Rômulo Rippa.

Parque Linear

O projeto do Parque Linear foi anunciado pelo prefeito Rômulo Rippa em julho. Ele abrange a área que vai desde o prédio da antiga descaroçadora de algodão da família Perondi – onde hoje funciona o Centro de Formação Profissional Irpo Perondi – até a área de lazer João Ferreira, junto ao rio Moji-Guaçu.

A primeira parte, que abrange o Parque Linear propriamente dito, vai da antiga descaroçadora até a nova entrada da Estação/Museu, pela avenida Ângelo Ramos. Ali estão previstos a finalização da Praça do Ferroviário, a revitalização do Anfiteatro Isaltino Casemiro, e novos equipamentos, como campo de futebol de grama sintética com vestiários e bicicletário, quadra de vôlei/futevôlei, espaço pet, academia do idoso e deficiente, playground, duas fontes e quadra de basquete, tudo interligado por uma ciclovia e pista de caminhada e com iluminação em LED.

Onde hoje é o Palco Permanente também haverá transformação. Será construída uma arquibancada de alvenaria no entorno, no mesmo espaço onde é montada a estrutura móvel da Feife (Feira Industrial Ferreirense). Embaixo da arquibancada serão construídas 21 salas, de diversos tamanhos, que servirão como sede e aos cursos da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, que hoje ocupam imóvel alugado.

Outras etapas

Num segundo momento estão previstos outros investimentos. A área onde hoje funciona o chalé da Associação dos Canoeiros, nas margens do rio Moji-Guaçu, vai se transformar num grande tablado de madeira (deck).

Próximo dali, estão previstos quatro restaurantes modulares, preservando toda a vegetação local. Esses restaurantes serão oferecidos por meio de concessão. Ou seja, a empresa que conseguir a concessão é responsável pela obra e poderá explorar os comércios. Essa etapa deve ocorrer concomitantemente à execução da primeira, por ser voltada à iniciativa privada.

Uma segunda etapa do projeto abrange a área que vai do Parque Linear até a Área de Lazer, passando por trás do Ginásio de Esportes, Piscina Municipal e Centro Olímpico.

Onde hoje é a entrada da Área de Lazer, a passagem ficará proibida para automóveis, apenas permitida para pedestres e ciclistas. Isto porque dali vai se iniciar, ao lado da atual pista de skate, a ciclovia e pista de caminhada que percorrerá todo o Parque Linear.

A entrada de veículos será pela avenida Domingos Bruno, que passa em frente ao Ginásio Adriano José Mariano. Ela dará acesso a um amplo estacionamento – que ficará atrás do Ginásio, Piscina e Centro Olímpico –, com 380 vagas para automóveis e 137 para motocicletas. A Prefeitura já iniciou o processo de desapropriação da área.

O local onde hoje é o estacionamento da empresa Cargill está sendo desapropriado, para que seja construído no futuro a “rotatória em oito” das avenidas que ali se cruzam, deixando também espaço para um prédio que vai abrigar a Secretaria de Segurança Pública e Mobilidade Urbana e a Guarda Civil Municipal, integrante do projeto.

E ainda, para finalizar, está prevista a construção de um complexo de atletismo completo, com pista oval de 800 metros, pistas de salto em distância/triplo, salto com vara e salto em altura, áreas para lançamento de dardo, peso e disco, além de arquibancadas.